26 de nov de 2012

Maria de Minha Infância

 Eu era pequeno, nem me lembro
Só lembro que à noite, ao pé da cama
Juntava as mãozinhas e rezava apressado
Mas rezava como alguém que ama
Nas Ave - Marias que eu rezava
Eu sempre engolia umas palavras
E muito cansado acabava dormindo
Mas dormia como quem amava

Ave - Maria, Mãe de Jesus
O tempo passa, não volta mais
Tenho saudade daquele tempo
Que eu te chamava de minha mãe
Ave - Maria, Mãe de Jesus
Ave - Maria, Mãe de Jesus

Depois fui crescendo, eu me lembro
E fui esquecendo nossa amizade
Chegava lá em casa chateado e cansado
De rezar não tinha nem vontade
Andei duvidando, eu me lembro
Das coisas mais puras que me ensinaram
Perdi o costume da criança inocente
Minhas mãos quase não se ajuntavam


Ave - Maria, Mãe de Jesus
O tempo passa, não volta mais
Tenho saudade daquele tempo
Que eu te chamava de minha mãe
Ave - Maria, Mãe de Jesus
Ave - Maria, Mãe de Jesus

  O teu amor cresce com a gente
A mãe nunca esquece o filho ausente
Eu chego lá em casa chateado e cansado
Mas eu rezo como antigamente
Nas Ave - Marias que hoje eu rezo
Esqueço as palavras e adormeço
E embora cansado, sem rezar como eu devo
Eu de Ti Maria, não me esqueço


♡  ♡

Autoria: Pe. Zézinho

3 comentários:

  1. Boa tarde Majoli querida!
    E é pura verdade como esses pequenos gestos de fé se perdem com o tempo.
    Adorei sua poesia e mensagem.
    Uma ótima semana para ti.
    abração com carinho

    ResponderExcluir
  2. Almada! Com o tempo vamos perdendo esta pureza da infância.Mas temos que seguir em frente, com nossos erros e acertos, afinal somos humanos.
    Tanto que pedimos na Ave Maria:" roga por nós"-e a Mãe querida sempre escuta.
    Bjs com muito carinho

    ResponderExcluir
  3. Que lindo!!Não conhecia!! Beijos,tudo de bom,Voltei faz pouco, DE_MO_LIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII_DA!! Esse ambiente de enterro faz mal, apesar de sempre que a família se encontra até conseguimos brincar. Fiz cada trapalhada por lá! Achava que era uma pessoa e era outra. A cegueta aprontou no vel´[orio e minha tia( a morta) deve ter pensado que não mudo nunca,sr

    Ela era minha madrinha! Me conhecia bem,srsr

    Depois, de lá, fomos ainda ver a Oma. Isso me deixou triste pois foi a irmã dela que morreu e ela não vai saber. Triste isso!

    Bom, sem querer, fiz um jornal...beijos,chica

    ResponderExcluir